Carregando

Vacine seu cão e gato contra a raiva

Secretaria:
Saúde
Rita de Biaggio
02/05/2006 00:00
A Campanha de Vacinação contra a Raiva de Gatos e Cães de Embu 2006 já começou e vai até o dia 2 de setembro. Seguindo o cronograma de atendimento nos bairros, serão montados 65 postos de vacinação fixos, e também postos volantes em algumas áreas específicas. Os postos estão funcionando mesmo com chuva e a orientação é que todos os donos de cães e gatos levem seus animais de estimação para vacinar. A vacinação é rápida e gratuita.

Segundo o Instituto Pasteur, o município de Embu conta com uma população mínima de 35.097 cães e 9.834 gatos. O município tem de atingir uma meta mínima de 85% desta população animal, ou seja, terá que vacinar mais de 40.000 animais. A maior dificuldade que o pessoal da Vigilância em Saúde encontra é a imunização dos gatos, isso em função de vários fatores, dentre eles a falta de sensibilização dos proprietários desta espécie de animal.

O gato vem assumindo um papel muito importante na cadeia de transmissão da raiva, fato este comprovado pelos últimos casos de raiva humana no estado de São Paulo. O instinto do felino (gato) é de predador, por isso continua caçando mesmo em ambiente doméstico, e o morcego é uma de suas presas, e neste momento o gato se contamina com o vírus da doença.

A Raiva é uma doença que ocorre nos mamíferos (cães, gatos, bois, cavalos, ovelhas, cabritos, morcegos etc) e pode ser transmitida aos homens sendo mortal, pois afeta o sistema nervoso. A transmissão ocorre quando o vírus causador da raiva, que está presente na saliva do animal infectado, penetra no organismo do homem através de mordedura ou lambedura.

Até o ano de 2004, no Brasil o principal transmissor da raiva ao homem era o cão. Mas, segundo a Fundação Nacional de Saúde o morcego assumiu o primeiro lugar após alguns surtos epidêmicos na região norte do país. O morcego é o único mamífero que pode voar e, assim, saem à procura de alimentos ao entardecer e à noite. Normalmente, estão associados a símbolos de terror, mistério e crenças, mas possuem um importante papel na natureza, dispersando sementes, polinizando flores e controlando insetos.

Existem os morcegos que se alimentam de sangue, mas nas cidades os morcegos mais comuns são aqueles que se alimentam de insetos e plantas, isto devido à grande oferta de alimento e abrigo (edificações sem conservações e com falhas de construção criando "Cavernas artificiais"). Todas as espécies de morcegos podem transmitir a raiva, sendo assim nunca devemos tentar capturá-los.

Lembre-se que morcegos com alterações de hábitos e comportamento, tais como voar durante o dia e encontrados paralisados e/ou doentes, NUNCA DEVEM SER MANIPULADOS. Neste caso, a Equipe do Centro de Controle de Zoonoses - CCZ - Secretaria de Saúde deve ser imediatamente avisada para que este animal seja encaminhado para exame laboratorial. Tendo em vista que os morcegos hematófagos que se alimentam de sangue de bois, cavalos, ovelhas, entre outras espécies, transmitem a raiva para estes animais, é também recomendada a vacinação destes animais de produção.

O Centro de Controle de Zoonoses de Embu informa que o ciclo da raiva em cães e gatos está controlado no Estado de São Paulo, mas ainda existe o risco de contaminação pelo vírus da Raiva através dos morcegos, que podem entrar em contato com cães e gatos dando início a uma epidemia de Raiva.

No Brasil, no período de 1986 a 2005, foram registradas 743 mortes humanas por raiva. Desde junho de 2005, vem ocorrendo um surto de raiva humana no estado do Pará, onde já morreram mais de 20 pessoas e, mais recentemente, no estado do Maranhão, matando 23 pessoas.



TUDO SOBRE
DESTAQUE

NEWSLETTER

PRAÇAS DE ATENDIMENTO

Centro
Santa Tereza
Santo Eduardo


Eficiência e qualidade na prestação de serviços: abertura de empresa, emissão de certidões, parcelamento de débitos, escrituração fiscal e outros
Prefeitura de Embu das Artes - Sec. de Gestão Tecnológica e Comunicação
Rua Andronico dos Prazeres Gonçalves, 114 - Centro Estado de São Paulo - Brasil CEP: 06803-900 PABX: +55 (11) 4785-3500 Disque Serviços: 0800 773 0005