Prefeito e população pedem resoluções na 3ª Plenária do Córrego Pirajuçara

Secretaria:
Meio Ambiente
Serviços Urbanos
Prefeito
Patricia Carvalho de Solsa
28/07/2014 00:00

A falta de definições por parte da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos inflamou os discursos na 3ª Plenária pelo saneamento do Córrego Pirajuçara, realizada domingo (27/7), no Campo do Irene. Apesar do convite, o encontro para tratar da canalização do córrego que vem castigando há anos a população de Embu das Artes, Taboão da Serra e São Paulo, com constantes enchentes, não contou com a presença de representantes do Governo Estadual.

O prefeito de Embu das Artes, Prefeito, demonstrou indignação e questionou a demora do órgão em apresentar uma resolução para o problema: “Se o mais difícil, que é o dinheiro, nós já conseguimos, porque tanta demora na execução? Existe um prazo para aplicar esse recurso”, afirmou referindo-se à verba de R$ 50 milhões liberados, em 2010, pelo Governo Federal para as etapas iniciais.

Marcos Guarani, presidente da Associação Internacional de Interesse a Humanidade do Jd. Emílio Carlos e Jd. Irene lembrou o compromisso da gestão municipal com a população e alegou não tolerar a indiferença do Governo Estadual: “Há 30 anos eu venho socorrendo famílias. Já perdi as contas de quantas vezes tive que ligar de madrugada, pedindo o auxílio do prefeito Prefeito que sempre nos atendeu. Não queremos mais ver famílias perdendo tudo, é hora do Governo Estadual cumprir com as suas responsabilidades”.

Vanessa de Souza, coordenadora do MTST, disse que a falta de respaldo do Governo Estadual é inaceitável e propôs uma ação energética: “Eles tiveram tempo, mas não fizeram questão de apresentar uma solução. Agora vamos fazer do nosso jeito, vamos lá, na frente do prédio do DAEE cobrar, e não adianta mais voltar atrás”.

“Queremos um documento assinado, com o cronograma de execução e com prazo para a retomada das obras. Nós queremos mais do que intenção, queremos ação”, disse o prefeito Prefeito em apoio à decisão.

Líderes de outros movimentos e associações como Movimento Terra Nossa, Agência Azul de Inclusão Social, Movimento Sol Nascente, Associação de Moradores do Jd. da Luz, Associação de Moradores do Pq. Fernanda, Associação Casa Nossa, Associação Modelar, Associação Pró-Moradia Alto da Riviera e Associação Cidadania Ativa do Jd. Macedônia participaram do evento e também apoiaram a proposta da líder do MTST.