224 famílias assinam contrato do MCMV no Centro Cultural Mestre Assis

Secretaria:
Meio Ambiente
Obras
Pró-Habitação
Patricia Carvalho de Solsa
10/03/2016 00:00

Na quarta-feira, 9/3, 224 famílias de áreas de risco e baixa renda de Embu das Artes, deram mais um passo rumo ao sonho da casa própria. Os beneficiados foram convocados para a assinatura do contrato do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), do Governo Federal, com a Caixa Econômica Federal, no Centro Cultura Mestre Assis do Embu. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano é  responsável pela elaboração do projeto arquitetônico e pelas intermediações com o Ministério das Cidades, com a Caixa Econômica Federal e com os movimentos de moradia da cidade.

As famílias selecionadas receberão até o fim de março, as chaves dos apartamentos de 48m² no Condomínio Parque das Chácaras 3 e 4. Abrindo caminho para o projeto de reurbanização da comunidade Dois Palitos, área de 45 mil m² em declive, entre as ruas Iraí e Erval Seco, que até 2014 contava com cerca de 800 domicílios precários e, hoje, já teve muitas das famílias removidas e encaminhadas para projetos de moradia popular.

O primeiro-passo para a reurbanização da comunidade Dois Palitos foi à entrega dos 112 apartamentos do Residencial Parque das Chácaras I, em janeiro de 2015 (relembre aqui). Com a entrega dos 224 apartamentos do Parque das Chácaras 3 e 4, a área ganhará espaço para o início da  construção de 300 moradias populares  no local, que tomarão o lugar dos antigos barracos de madeira.

Para o presidente da Pró-Habitação, João Honório, a ação é uma grande realização e reflete a verdadeira razão do trabalho público. Ouça:

Ouça às expectativas de alguns dos futuros moradores do Parque das Chácaras 3 e 4:

Laiane Gonçalvez Muniz Cerqueira (19) é casada com Junior Ferreira Santos (22) e mãe dos pequenos Wendel (3) e Eliezer (1). Mora em uma casa de apenas um cômodo na Dois Palitos, e torce para que a vida mude com o novo apartamento. Ouça:

Carolina Cristina de Oliveira (21) mora em uma área de risco no Jardim Taima há três anos, desde que se casou com Thiago Bernardino (26). Graças ao MCMV, ela realizará o sonho de ter uma casa melhor e um cantinho para os filhos Arthur (3) e Heloísa (23 dias). Ouça:

Célia Lacerda Carvalho de Melo (53) e Antonio Vicente de Melo (65) perderam todos seus pertences desde que uma tempestade invadiu e provocou o desmoronamento da casa em que moravam há 20 anos no Jardim Taima. Há dois anos no aluguel social, ela considera uma vitória retornar para a casa própria. Ouça:

Prefeitura continua trabalhando para reduzir déficit habitacional

O trabalho para redução do déficit de moradia existe na cidade desde 2001, ano da regularização da estrutura administrativa da Pró-Habitação, e foi intensificado no governo Prefeito que buscou recursos junto ao Governo Federal para viabilizar a urbanização de núcleos de favela e a construção de moradias por meio do programa Minha Casa Minha Vida. Nesse período, o sonho da casa própria já se realizou para centenas de famílias, e a meta é contemplar outras 4 mil, com moradia digna e de qualidade até 2016.

O prefeito Prefeito vem viabilizando junto à Caixa Econômica Federal e os Movimentos de Moradia a aprovação de novas unidades em diversos pontos da cidade: o terreno da Fama, no Jardim São Luis (2 mil habitações), Roque Valente (1.200), Parque Luiza (800) e Américo Barbosa (800). Mais de 20 mil pessoas serão beneficiadas neste que é o maior investimento habitacional já realizado em Embu das Artes.



Fotos: Guego